Estado aumenta controle sobre áreas de risco

O vice-governador Leonel Pavan reuniu-se na tarde desta quinta-feira (27) com o alto comando da Polícia Militar que está sediado no 1º Batalhão da PM , em Itajaí, onde foi instalado uma sala de operações especiais em função das cheias que atingem a região. Na ocasião foi apresentado à imprensa a segunda fase do trabalho da Polícia Militar, chamada de “resposta ao desastre”.

Leonel Pavan lembrou que é importante o trabalho integrado entre as policias civil e militar para garantir a integridade das pessoas e do patrimônio tanto público quanto particular. “Temos agora uma nova guerra, o trabalho de recuperação das cidades e o atendimento as pessoas, o que deve ser feito com todos os cuidados técnicos, mas também com muita solidariedade”, observou Pavan , acrescentando que todos os esforços e os recursos possíveis serão feitos pelo governo do estado neste sentido.

POLICIAMENTO OSTENSIVO – Segundo o comandante geral da PM, coronel Eliésio Rodrigues as ações começam a ser implementadas após o nível dos alagamentos terem diminuído. De acordo com levantamento da PM, apenas nos bairros da Murta e Dom Bosco as ruas possuem pontos de alagamento, mas já há possibilidade de transito. As ações compreendem policiamento nos abrigos e alojamentos , intensificar o policiamento ostensivo nas áreas de risco em toda a cidade e nos estabelecimentos comerciais.

Segundo a PM, foi emitida uma portaria que impede a circulação de pessoas em áreas calamitosas e que ainda são consideradas de risco, após às 22 horas. A portaria vigora enquanto persistir o estado de calamidade e serve para salvaguardar as pessoas dos riscos à saúde, e a integridade física. Outra ação será a instalação de barreiras táticas para controle dos pontos considerados estratégicos. Eliésio Rodrigues destacou que mesmo ocorrendo a esta ação especial, os serviços de rotina da Polícia Militar continuam normalmente.

CONTROLE DE SAQUES – Desde o início da semana, equipes compostas por 120 agentes da Polícia Civil e 350 Militares de Itajaí trabalham para coibir possíveis transtornos durante a entrega dos mantimentos nos cerca de 100 abrigos onde estão alojadas as vítimas da enchente.

Conforme informou nesta quinta-feira, 27, o delegado de Polícia Civil, André Mendes de Oliveira, não estão acontecendo saques no município, o que existe é um grande aglomero de pessoas no momento em que os caminhões chegam ao local. “O fato prejudica não só o trabalho da polícia que demora para descarregar como as mulheres e crianças que não conseguem ter acesso aos alimentos”, comenta. A única ocorrência de saque registrado em Itajaí ocorreu na manhã de segunda-feira (25) no Supermercado Maxxi, quando 28 pessoas foram detidas.

Cerca de oito policiais civis são responsáveis pela escolta diária dos mantimentos aos abrigos. “Só nesta quinta-feira (27) já realizamos 28 entregas”, afirma o delegado.* *Os policiais militares estão distribuídos em todos os pontos de coleta para dar apoio durante a entrega. Conforme o Tenente Coronel, Carlos Alberto Mafra, a cavalaria do Batalhão composta por 40 homens também realiza rondas ostensivas por toda a cidade.

Parte dos funcionários da Secretaria Regional fazem parte da Força-tarefa no Centreventos, em Itajaí.*

Fonte: Governo do Estado de Santa Catarina

Anúncios

Etiquetas: , , , , ,

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s


%d bloggers like this: